Coordenadora do GEPAR participa de live na próxima quinta

Na quinta-feira (2/7), às 18h, o Núcleo de Estudos e Pesquisas em História, Cultura e Sociedade (NEPIH) fará uma rodada de debate virtual da Série Historiando Piripiri, que pontua os 110 anos de emancipação política do município piauiense.

Através da sua página no Facebook, a live do NEPIH contará com a participação da coordenadora-geral do GEPAR Elaine Ignácio na abordagem do tema “Uma cidade ameaçada: o patrimônio histórico, cultural e arqueológico de Piripiri”. Além da Doutoranda em patrimônio e Mestra em arqueologia pré-histórica e arte rupestre, o encontro será mediado pelo  professor Helton Filho e terá a presença do mestre em arqueologia Pablo Roggers, do especialista em história do Brasil Marco Mattos.

Para acompanhar a live e os trabalhos do Núcleo de Piripiri, basta clicar aqui.

Elaine Ignacio participa de seminário no Rio de Janeiro

Essa semana, entre os dias 25 e 29, o Rio de Janeiro recebe o V Seminário de Preservação de Patrimônio Arqueológico, organizado pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, através do Programa de Pós-Graduação em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia – PPACT.

O evento, que acontece no auditório do prédio Ronaldo Mourão, do MAST, situado em São Cristóvão, é aberto a todos interessados em discutir os variados aspectos da preservação desse patrimônio em especial. Serão abordados temas como conservação, musicalização de coleções arqueológicas, uso de técnicas analíticas aplicadas à preservação, documentação, gestão, educação patrimonial, salvaguarda e outras.

Elaine e Mestre Calixto, defensor do patrimônio de Buriti dos Lopes e membro do GEPAR.

No dia 28 de novembro, às 13h, a professora Elaine Ignacio participará da mesa “Arqueologia, Museologia e Patrimônio” apresentando o seguinte trabalho: “Nas Trilhas Rupestres do Norte do Piauí: as interfaces da arqueologia e do patrimônio cultural na socialização do conhecimento, desenvolvida pelo grupo de educação patrimonial e arqueologia – GEPAR”.

Nesta mesa, ela fará a exposição de ações feitas pelo GEPAR através da gestão compartilhada com a comunidade e a utilização do patrimônio cultural e natural como ferramenta de socialização do conhecimento para incentivo da resiliência humana e desenvolvimento sustentável local.